Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2010

A outra metade

A outra metade

 

Tardiamente te encontrei, meu amor

Acreditei, procurei e encontrei

“Amor”

Eu sabia eu sentia que existias

Nas lagoas eu te via, podia ser na verde ou na azul

Eu via era real, não era imaginação era o coração que dizia

O encontro foi real, a conversa foi banal

Nossos corações se uniram e o puzzle encaixou

 Eras tu

O amor continua, o que fazemos?

 Resignamos? Ou prosseguimos?

Ergo os olhos ao céu em prece muda

E agradeço os momentos que vivi.

Lágrimas de amargura e felicidade me caiem no regaço

 Fui feliz

O pouco que me deste foi muito para mim

Queria mais, mas não estou completa

Infelizmente é o fim sem meio

Não e o princípio de um grande

AMOR.

 

Manuela Bulcão

publicado por poemasdaminhavida às 17:40
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 20 de Fevereiro de 2010 às 23:26
Gostei da surpresa, por isso andavas tão ocupada. Lindos poemas, especialmente este que me lembra onde nos conhecemos. Muita inspiração. MG

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Plenitude

. Odeio…

. O Labirinto

. Noite

. Mãe

. Cria da Bruma

. Cadáver

. ...

. Conceitos de Liberdade

. As escadas de São Bento

.arquivos

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

blogs SAPO

.subscrever feeds