Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2010

Ilhas Encantadas

Açores paisagem única, visão imaculada

Fontes da vida, Águas puras inócuas

 Água translúcida, pura fonte da vida

Vegetação única da natureza, intocável terra orvalhada

Arquipélago

Ilhas encantadas, meus olhos brotam lágrimas perpétuas

A saudade, do cheiro a maresia é escrava do meu lamento

 Jardins à beira mar plantados, pérolas do oceano.

Açores minhas ilhas meus amores

Sou filha do nada

Filha encantada, filha rejeitada, filha mal amada

Sou tudo, sou nada, serei idolatrada

Amante insular

Um dia serei amada, PRINCESA ENCANTADA

 

Manuela Bulcão

publicado por poemasdaminhavida às 16:15
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Plenitude

. Odeio…

. O Labirinto

. Noite

. Mãe

. Cria da Bruma

. Cadáver

. ...

. Conceitos de Liberdade

. As escadas de São Bento

.arquivos

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

blogs SAPO

.subscrever feeds