Quarta-feira, 4 de Agosto de 2010

Cria da Bruma

Cria da Bruma

 

 

Sou uma filha da bruma

Cada poro respira o sal

O basalto é o meu corpo etéreo

Sou a gaivota que está mar!

As cinzas dos Capelinhos são as contas do meu terço

E a as ave marias de minha mãe adoptiva

São canções de embalar

Arrancada para a imensidão do continente

E separada da terra orvalhada…

Mas ainda sou uma cria da bruma!

 

Levando-me para próximo de minha mãe!

Mas sou uma cria incompleta do arquipélago

Cria da Bruma

 

 

 

Manuela Bulcão

publicado por poemasdaminhavida às 23:29
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Plenitude

. Odeio…

. O Labirinto

. Noite

. Mãe

. Cria da Bruma

. Cadáver

. ...

. Conceitos de Liberdade

. As escadas de São Bento

.arquivos

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

blogs SAPO

.subscrever feeds