Quarta-feira, 4 de Agosto de 2010

Noite

Noite

 

Noite gélida e mística

O céu escuro como breu, convida ao Amor

Olhámo-nos profundamente inebriados

Nada mais existe, nada mais importa

Amar é a prioridade

Apagam-se as luzes e fecham-se as portas

E …Entre gemidos e laivos de prazer

Eu gritei aos quatro ventos

Quero-te amar…meu amante

Aqui e agora te digo

Que…

Nunca te esqueci, muito embora separados

Jamais te esquecerei meu Amor

És a Paixão da minha vida

Amor proibido, Amor contido

Sou mulher e mãe

Amante furtiva, escrava do Desejo por ti…

Nesta noite de loucura

Por entre Orgasmo de fúria

Por não te poder amar integralmente.

A ti meu Amor

Apenas te vou dizer, que…És e serás

O Amor da minha vida.

 

Manuela Bulcâo

publicado por poemasdaminhavida às 23:32
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Plenitude

. Odeio…

. O Labirinto

. Noite

. Mãe

. Cria da Bruma

. Cadáver

. ...

. Conceitos de Liberdade

. As escadas de São Bento

.arquivos

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

blogs SAPO

.subscrever feeds