Quarta-feira, 4 de Agosto de 2010

Odeio…

Odeio…

 

Odeio a minha vergonha subtil

Odeio o calor que rega a minha epiderme!

Odeio ver as lágrimas de tristeza da minha mãe!

Odeio estar numa indecisão…

 

Queria ter a força do teu abraço

Queria a certeza da elipse solar

Queria amar sem medo ser julgada

Queria beijar-te tenuemente…

 

Sonho o tudo

Sonho as pegadas na areia

Sonho os calos das mãos de minha mãe

Sonho poder erguer a cabeça…

 

Odeio amar o que não posso

Odeio as regras da sociedade

Odeio a dependência humana do dinheiro

Odeio o Eu…

 

Odeio não ter quem amar!

 

 

Manuela Bulcão

publicado por poemasdaminhavida às 23:33
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Plenitude

. Odeio…

. O Labirinto

. Noite

. Mãe

. Cria da Bruma

. Cadáver

. ...

. Conceitos de Liberdade

. As escadas de São Bento

.arquivos

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

blogs SAPO

.subscrever feeds